Dicas de currículo para Tecnologia da Informação

Só o fato de estar inserido na área de tecnologia da informação é um alento para o profissional. Segundo pesquisa da Catho ao final do ano passado – ou seja, em plena crise – as vagas nesse setor aumentaram 44%! Atendendo a pedidos, resolvemos trazer dicas de currículo e para entrevistas, segundo uma especialista em RH.

Conversamos com Meury Hermano, MBA em gestão de pessoas. Confira:

Dicas de currículo para profissionais de tecnologia da informação

Dicas de currículo

Contrato PJ: Para começar, diga suas principais recomendações para não tomar o tempo do recrutador, e falar logo o que ele costuma procurar.

Meury: O primeiro ponto é fazer o currículo inteiro tomando o cuidado de deixar claro as suas atividades e experiências. É mais fácil ler quando elas estão em tópicos, começando das mais difíceis para as mais simples. Citar nomes de sistemas operacionais, equipamentos e ferramentas já servem para detalhar suas habilidades. Se possível, ao lado das siglas, descrever a função de cada ferramenta, sistema ou plataforma.

O LinkedIn suporta uma quantidade bem maior de informações e detalhes estruturados. Qual o nível de profundidade certo no currículo, e o que deve ser aprofundado só no LinkedIn? 

Para o currículo, o ideal é dar informações sobre suas experiências, com mais detalhes, mas sem perder a objetividade. Cite os idiomas que fala e habilidades com sistemas e ferramentas específicas.

Trabalhos sociais e voluntários e viagens internacionais chamarão atenção, mas não serão os itens principais do seu perfil.

No LinkedIn, há serviços que proporcionam o envio direto para vagas do seu perfil. É importante tomar cuidado com a foto e não conter erros de português, inglês, ou qualquer outro idioma. A quantidade e tipos de contatos em sua rede não farão de você o perfil adequado para uma vaga, por isso, foque apenas nas informações que o recrutador busca. Todos os campos do LinkedIn são importantes, porém, deve dar preferência às informações sobre experiências, pois em meio a tantos currículos o selecionador estará focado no que quer encontrar.

Tem algum problema, ao final ou no cabeçalho do CV, convidar o recrutador a ver o perfil para saber mais detalhes? Isso pega mal?

De maneira nenhuma. É muito importante colocar links de trabalhos feitos, blogs, sites entre outros, pois estes detalhes serão bem visados e será um diferencial.

Na área de TI, existem muitas certificações e qualificações. Como eu posso escrever (no CV) e falar (na entrevista) de todas as credenciais detidas sem parecer arrogante?

Talvez o recrutador não conheça todos os termos e siglas de certificações na área de TI, principalmente se não for um especialista. Então, ao mencioná-las deixe escrito por extenso. Exemplo: Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD).

Algumas vagas exigem habilidades humanas e interpessoais bem aguçadas (soft skills). Profissionais de exatas muitas vezes deixam a desejar nesse ponto. Como passar uma boa impressão nesse aspecto?

Mostrar uma boa escrita já é um grande começo para aparentar habilidades humana e interpessoal. Por isso, saber relatar bem as atividades e transparecer isso em sua entrevista poderá contribuir para chances de passos importantes na seleção e carreira.

Qual a melhor impressão de: 1) programador / codificador; 2) analista de sistemas; 3) web designer; 4) coordenador de projeto…

Um analista precisa ser capaz de conceber e relacionar várias ideias ao mesmo tempo, para ajudar o usuário e resolver seus problemas. Empolgação e boa argumentação fazem bem aqui. Já para um programador, o perfil não é tão bom, pois ele facilmente vai querer contestar e incrementar as instruções que recebe, desconhecendo o orçamento e realidade do cliente / projeto.

A melhor impressão que possa ter é ser transparente sobre suas habilidades e personalidade.

Comentários

comentários