Conhecendo o candidato: 5 dicas para IT Recruiters orientarem uma boa entrevista

O que o LinkedIn não mostra, mas uma boa entrevista pode revelar

Na teoria, a definição de IT Recruiter é simples: profissionais especializados em recrutamento e seleção de candidatos para vagas de TI. Mas na prática nem sempre é tão fácil; e para entender os desafios da profissão, ninguém melhor do que quem vivencia o dia a dia do tech recruiter e aprende a cada entrevista como aproveitar melhor o seu tempo e o do candidato.

Marta Pacheco é formada em gestão de recursos humanos e atua há 4 anos como especialista em recrutamento e seleção de TI. Entrevistas fazem parte do dia a dia de Marta e, como uma boa IT Recruiter, ela pôde compartilhar com a redação as principais dicas de como realizar uma entrevista objetiva e colher as informações ideias para escolher o candidato certo.

Antes de tudo, saiba o que o seu cliente procura

Para Marta, um dos pontos chave antes mesmo de começar a procurar candidatos é entender o que o cliente, quem abriu a vaga para profissionais de tecnologia, procura. Apenas o título “Analista de BI” ou “Pessoa Desenvolvedora .Net Full Stack” pode não ser o suficiente; é importante saber se este novo funcionário de TI vai trabalhar em equipe, se ele ou ela tem a possibilidade de trabalhar em home office, se é preferível alguém comunicativo, pontual ou que tenha agilidade como característica principal, e por aí vai. Perceber o que o cliente quer é o primeiro passo para alinhar um bom processo seletivo.

Conhecendo o candidato 5 dicas para IT Recruiters orientarem uma boa entrevista

Assim, depois de selecionar os candidatos, a entrevista é a etapa mais importante. Para isso, confira 5 dicas importantes de como orientar um processo seletivo assertivo e conveniente em que você, recrutador, e o/a profissional se entendam da melhor forma.

1. Considerar o momento de vida do candidato

“Qual sua ambição profissional? Quais são os seus objetivos no momento?”

Antes de selecionar um novo profissional para fazer parte da equipe de uma empresa é imprescindível entender quais os objetivos pessoais e profissionais daquele novo funcionário. 

“Se surgir a possibilidade de você trabalhar em outro estado ou até em outro país, você toparia? Se existir a possibilidade de você traçar um plano de carreira, é interessante para você?”

Se a empresa empregadora deixa explícito que o candidato precisa de disponibilidade de se mudar, por exemplo, pode ser que a resposta negativa às perguntas acima já concluam o processo; da mesma forma, se for prioridade para a empresa que o funcionário permaneça na casa por tempo indeterminado e se desenvolva na equipe, encontrar um candidato que prefira estabilidade pode ser o ideal.

Perguntas como essas podem permitir que o tech recruiter analise qual a etapa profissional que o candidato se encontra e se suas ambições e vontades combinam com a vaga em questão. 

2. Analisar as hard e soft skills – uma é tão importante quanto a outra

Para começar do começo, vamos entender o que cada um desses nomes significa:

Hard skills são habilidades técnicas que o candidato desenvolveu durante a vida acadêmica ou profissional; nessa etapa, compete ao profissional de TI as tecnologias que ele domina, as linguagens que ele conhece e as experiências técnicas que ele já vivenciou. As hard skills são habilidades imprescindíveis para a vaga, uma vez que elas já são pré-determinadas de acordo com a função que o candidato vai desenvolver. Além disso, elas são postas em cheque quando existe um teste técnico durante o processo seletivo.

Já as soft skills são habilidades menos mensuráveis – são características de convívio pessoal e profissional que vão condizer ou não com o ambiente de trabalho, a proposta do emprego e os valores da empresa. Ser comunicativo e ter bom relacionamento interpessoal é uma soft skill, por exemplo; é algo que faculdade nenhuma ensina, mas no dia a dia, a depender da posição de trabalho, pode ser mais do que necessário.

Ou seja: saber se o candidato domina Java, Python, Swift ou PHP é um pré requisito básico para dar seguimento a conversa; mas entender se ele se encaixa na empresa e se adequa ao perfil da vaga é o que vai definir se aquela alocação vai ser bem sucedida ou não.

3. Perguntar qual o maior desafio que o candidato já enfrentou

Você saberia responder essa pergunta, pensando na sua área de atuação profissional?

Desafios podem ser as mais diversas situações: entregar um projeto complexo em um curto espaço de tempo, tocar um projeto complexo sozinho ou distribuir tarefas entre uma grande equipe de colegas. Entender qual foi o maior desafio que o candidato vivenciou até o momento pode revelar o que pra ele é desafiador, o que para ele pode vir a ser uma dificuldade e de que forma ele soube contornar a situação.

4. Quais as experiências anteriores do candidato 

O tempo de experiência pode ser uma variável importante, mas não é a única. Conhecer as diferentes experiências que o candidato já vivenciou, seja elas em projetos como freelancer, projetos pessoais, empregos formais ou em grandes ou pequenas empresas revela o quanto o candidato se interessa e se dispõe a aprender e aproveitar diferentes oportunidades – o que nos leva a última e mais importante dica. 

5. O candidato é curioso? Ele vai atrás?

“Um bom profissional de TI precisa ser curioso, é a curiosidade que vai fazer ele andar”, isso é o que, para Marta, é o mais importante em um almejante a vaga de TI.

Se mesmo com a melhor formação profissional e um currículo impecável o candidato não se demonstra curioso e interessado em aprender, será que ele será um profissional dedicado na nova vaga de emprego?

O mercado de TI é um dos que mais cresce no Brasil e no mundo e, à medida que o tempo passa, novas tecnologias são implementadas e aprimoradas. Por isso, curiosidade e vontade de aprender são duas características primordiais para garantir que um candidato se adeque bem à vaga, seja ela qual for. Mesmo que o candidato não carregue consigo a maior carga de experiência ou não disponha do mais completo currículo, se existe vontade de aprimoramento profissional sempre existe espaço no mercado de trabalho.

Para profissionais de R&S, ingressar no mercado de TI é uma maneira de se especializar em um nicho de trabalho em crescimento exponencial – e a WK é um dos espaços que oportuniza a esses profissionais conhecerem novas oportunidades na TI. A WK JobHub é uma hub focada em conectar empresas e profissionais de TI, abrindo portas para IT Recruiters e profissionais da tecnologia. E mais: se você se interessou nas 5 dicas acima sobre como orientar uma boa entrevista, conheça o Tech Recruiting Training: treinamento para recrutadores que desejam se especializar em TI. Estar em constante processo de aprendizagem é o que destaca qualquer profissional no mercado de trabalho, seja qual for  profissão. 

Entrevista à distância: dicas para fazer bonito antes, durante e após a entrevista

Você está com uma entrevista à distância marcada? Fique tranquilo, aqui tem tudo que você vai precisar saber para passar a melhor impressão possível para o(a) recrutador(a).

Não corra o risco de cometer deslizes bobos por causa de detalhes e talvez até perder essa oportunidade.

Na WK, realizamos entrevistas remotas praticamente todos os dias, desde antes da pandemia. Então podemos te ajudar a se preparar para sua próxima entrevista remota. Continue lendo e aproveite!

Antes de procurar novas oportunidades

Antes de você procurar qualquer oportunidade de emprego, existem cuidados básicos. Isso porque pode ser que algum recrutador chegue até você, e nesse caso, é importante deixar algumas coisas alinhadas.

Fique atento às fotos de perfil que você usa em lugares como:

  • Whatsapp
  • LinkedIn
  • Skype
  • Hangouts
  • Meet
  • Teams

Caso você seja chamado diretamente por esses meios, já estará preparado para passar uma imagem mais profissional. Veja dicas de como escolher uma foto de perfil profissional para qualquer rede.

Outra dica bem importante é evitar postar nas redes sociais conteúdos que podem manchar a sua imagem profissional.

Essa dica se aplica tanto às entrevistas remotas, quanto presenciais. Mas à distância, o entrevistador está a um clique de conferir suas redes mesmo durante a conversa.

E quando a entrevista já está marcada, existem vários cuidados para se tomar antes do grande dia. Confira nas próximas linhas.

O que fazer antes da entrevista à distância

Muitas pessoas, quando sabem que vão aparecer na frente de uma câmera, podem ficar nervosas antecipadamente. Fique tranquilo!

O recrutador possivelmente está acostumado com esse tipo de processo e se preocupa apenas em conhecer você, assim como você deve querer conhecer mais sobre a empresa.

Fale com seus familiares e pessoas que moram com você que tem uma entrevista marcada e o dia, e relembre-os no dia para não fazerem barulho, e só interromper a entrevista se for algo urgente.

Agora pense no seu ambiente. Busque um lugar tranquilo, silencioso e faça o possível para que ele pareça um escritório. Lembre-se que esse pode ser o seu espaço de home office.

Quando descobrir por qual plataforma será feita a entrevista, baixe o aplicativo e crie sua conta o quanto antes.

Entre usar celular ou computador, tudo depende.

O computador dificilmente irá tremer a câmera, porém você não pode mudar a conexão para 3G/4G caso a wi-fi perca a conexão.

Por outro lado, o smartphone:

  • Tem essa conexão auxiliar caso a wi-fi oscile
  • Geralmente tem a qualidade de imagem da câmera melhor
  • Evita que você abra redes sociais e Whatsapp
  • Mas exige que seja montada uma estrutura para a tela não tremer 

Leve todos esses pontos em consideração para decidir qual dispositivo usar.

Agora que você já sabe o dispositivo e plataforma online de entrevista à distância, teste microfone e câmera com alguma pessoa antes da entrevista remota.

Não esqueça de que é importante uma iluminação contra o seu rosto, nunca de trás. Se não tiver uma luminária, vale até ficar de frente para alguma janela e receber luz natural.

Como última dica para dias antes da entrevista, anote as perguntas num papel e guarde-as para o momento certo, geralmente no final da entrevista. Veja o que perguntar numa entrevista de emprego.

O dia da entrevista à distância chegou

Obviamente, desative as notificações de redes sociais no smartphone antes da entrevista remota. Se você for usar o computador, então recomendo que ative o modo avião.

Outra dica muito importante é usar fones de ouvido durante a conversa. Isso porque o entrevistador não sabe se há outras pessoas no ambiente, então os fones impedem que informações sigilosas sejam expostas.

Além disso, demonstra que você está concentrado. Mesmo que olhe para o lado durante a conversa, estará ouvindo tudo que o(a) entrevistador(a) diz.

Dicas para fazer durante a entrevista à distância

Se não tiver outra pessoa para atender as urgências por você, avise antecipadamente se algum imprevisto pode acontecer. Exemplos disso são uma criança pequena em casa ou uma encomenda que está para chegar.

Caso goste de fazer anotações durante a entrevista, avise no começo também. Isso serve para o(a) entrevistador(a) não achar que você está distraído.

Cuide os ruídos e barulhos, um exemplo clássico é o som do teclado do computador. Então se esse for o seu dispositivo para a entrevista, evite de digitar nele.

Por fim, lembre-se de que você está conversando na internet, e podem acontecer alguns delays. Então para evitar uma conversa truncada, antes de responder uma pergunta preste atenção no tom de voz do(a) recrutador(a) e aguarde um momento de silêncio.

Aposto que quando a entrevista acabar, você vai querer saber se foi bem, não é mesmo? Nunca pergunte isso ao final da entrevista. Nesse caso, veja 6 sinais de que sua entrevista de emprego pode ter sido um sucesso.

Tenha uma ótima entrevista!

O que achou?

3 votos. Média: 4,33.

Entrevista de emprego: Como não contratar (ou ser) um infame

Infame: adj. m. e f. Indigno; irrelevante; desprezível; que provoca desprezo ou repugnância por ser de péssima qualidade.

Todo selecionador que carrega nas costas o trabalho de recrutar profissionais para uma companhia tem uma grande preocupação: decidir pela pessoa certa. Pois o comportamento do contratado refletirá a imagem do seu trabalho. Por causa disso toda a busca de profissionais e preparo da entrevista é feita de maneira antecipada e com muito cuidado.

Muitas companhias não avaliam apenas o conhecimento técnico do candidato à vaga, mas principalmente seu perfil pessoal. O perfil é constituído principalmente da sua postura e comportamento. Muitos candidatos são reprovados devido a detalhes imprescindíveis.

Entrevistas de emprego: como não ser infame

Erros mais grotescos e comuns em entrevistas de emprego

Chegar atrasado

Quando não se pesquisa o trajeto, tempo de chegada ao local, endereço e distância, corre-se o risco de chegar atrasado e afobado, com ar de preocupação e afoito ao responder as perguntas iniciais… Além da sede, de tomar um copão de água por chegar correndo, com o cabelo desajeitado, maquiagem já nas últimas condições de tanto que passou a mão na testa, nariz, roeu as unhas de ansiedade, etc. Geralmente uma sala de entrevista é rigorosamente separada na agenda da empresa inteira, isto é, para te atender exatamente na hora combinada. Um descuido seu pode impactar em todo o seu processo e até em outras pessoas. É muito mais elegante ligar com antecedência para avisar do atraso, bem como dar uma satisfação sobre o que houve e onde está. Ou mesmo tentar remarcar a entrevista.

Mascar Chiclete

É um erro óbvio, porém muitos se esquecem de jogar fora. Vale muito para ficar com bom hálito, mas o costume de mascar chicletes pode te levar a esquecer de jogar fora ao chegar. O candidato não é avaliado apenas quando está à frente do entrevistador; pode ser também observado pelo porteiro, recepcionista, segurança e todos ao redor. Ninguém gostaria de ver uma pessoa parecendo um bicho, com a boca aberta passando o chiclete de um lado ao outro. Poupe-nos…

Atender o celular no momento da entrevista

Hoje a comunicação é constante com aplicativos sociais e de mensagens. É inevitável que no percurso você esteja com o celular em mãos. Não adianta colocar para vibrar ou no modo silencioso, se no momento da entrevista o alarme toca, fazendo a pessoa lembrar-se de compromissos, lembretes e outras notificações. Desligue-se geral. O seu compromisso agora é com o selecionador.

Falar mal da última empresa

Se a pessoa fala mal da última empresa, chefe, setor entre outras coisas, invariavelmente perderá pontos diante do entrevistador. Problemas todos temos, inclusive as empresas. Mas você deve guardar todo o seu rancor, tristeza e chateação no bolso, por mais que tenha razão. Um ambiente organizacional também é reflexo do trabalho do RH. Será que vão te contratar sabendo que depois você pode expor os defeitos daquela organização externamente?

Não marque suas entrevistas de emprego com assuntos negativos. Você pode parecer com ar de intrigante e mal-agradecido mesmo não sendo assim.

Mentir

Já vi casos de recrutadores perguntarem se o candidato sabe falar inglês e na hora do teste não saber formular sequer uma frase. Não perca seu tempo, nem o do entrevistador, contando falsos atributos profissionais. Não deveria ser necessário orientar um profissional a não faltar com a verdade…

Ir com roupa inadequada

Não é porque a empresa tem um uniforme vermelho que você deve ir assim no dia da entrevista de emprego. Seja coerente. Não vá com roupas apertadas, decotes, pernas à mostra, calça social curta (para os homens) e meia branca. Às vezes chega de tênis por ter feito um percurso cansativo, e pede para a recepcionista guardá-los e manter o segredinho básico. Não dá! Já imaginou que seu entrevistador pode não lhe deixar a sós de novo com a comparsa? Aí você acaba esquecendo os calçados lá, e a recepcionista te “queima” no setor de recursos humanos em busca do telefone do esquecido…

Falar alto demais

Saber que você é um bom comunicador todos podem. Mas o entrevistador não é obrigado a perder a audição por causa disso. Então fale mais baixo em salas fechadas. Caso a entrevista seja coletiva ou em sala maior, aí já é outra história.

Não saber os seus pontos positivos e negativos

O entrevistador não quer saber exatamente qual seu ponto positivo… Ele quer saber como você vai se sobressair a falar de um ponto negativo seu a melhorar. Quer ver sua sinceridade. Não aponte o perfeccionismo como defeito: se for tão perfeccionista assim, a ponto de negar tempo para outras coisas que também precisam de sua atenção, já é uma doença… E essa resposta já se tornou conhecida.

Não saber sobre a vaga e a empresa

Isso faz com que o entrevistador repasse todo um resumo da companhia. Isso porque você não se deu o trabalho de pesquisar, embora faça perguntas a respeito. Isso mostrará que teve menos interesse pela vaga do que outros candidatos. Se atente, acorde e faça o básico pelo menos para saber o nome da empresa.

Não ter perspectiva de nada

Saiba porque chegou naquela empresa, você não precisa parecer um deslocado: “o que eu vim fazer aqui?”. Saiba pra que veio e aonde quer chegar sendo o grande profissional que é.

Bom, esta foi uma pequena amostra dos erros mais grotescos cometidos em entrevistas de emprego. Saiba ser agradável ao chegar à empresa. Seja simpático, porém discreto. Cortez e educado, em vez de arrogante e autossuficiente. Quando te oferecerem café, aceite. Prove-o e elogie a copeira, ganhe as pessoas para si ao seu redor. Dessa maneira você perceberá que a sua presença faz a diferença por onde passa.