Duas formas de estudar programação

Apesar de o título falar sobre programação para desenvolvedores de software, acredito muito que a sacada deste post valha para qualquer aprendizado.

Uma coisa é estudar certa tecnologia através de tutoriais da internet, cursos livres ou mesmo na faculdade. Isso é sem dúvida um estágio importante e um “pontapé inicial” para o aprendizado.

Outra coisa bem diferente é estudar com materiais escritos pelos próprios fabricantes! O melhor exemplo são os livros que preparam para exames de certificação, e vale inclusive para quem não pretende fazer provas.

Explico…

Duas formas de estudar programação.
Tela com IDE de desenvolvimento.

Os fabricantes não fazem provas tão difíceis para destruir a nossa vida social, mas sim para formar profissionais que usem seus produtos da forma correta e sem gambiarras.

Esses materiais não ensinam só o óbvio. Eles mostram os recursos pormenores da ferramenta, seus porquês, variações, quando usar, quando fazer de outra forma, etc.

Exemplo prático: você sabe em quais situações é mais adequado usar um array e um list na sua linguagem de programação favorita?

Essas duas estruturas tem a mesma finalidade, mas não o mesmo comportamento…

Conhecendo esses pormenores, o desenvolvedor tem muito mais margem de manobra para resolver problemas do dia a dia.

O meu caso – Certificação em C#

A minha primeira certificação foi um MCP (Microsoft Certified Professional) na tecnologia C#.

Quando comecei a estudar, em 2015, já trabalhava com essa linguagem diariamente havia uns oito anos.

No primeiro simulado tomei um belo de um pau, como se fosse um analfabeto em informática.

Mas foi apenas um teste. Na mesma semana, comprei o livro do exame na Amazon e iniciei uma jornada de estudo, pesquisa, prática e muiiitos simulados.

Livro de um lado da mesa, e computador com Visual Studio aberto do outro. Após 3 meses nessa vida, fiz o exame e passei com nota 950/1000! 🤩

Aprendizado: até então, eu já programava e tinha bons feedbacks. Mas depois disso, notei uma melhora muito grande na minha programação e até no look do meu código.

Tornei-me o responsável por resolver os problemas mais complexos da TI onde trabalhava, coisa que conseguia fazer sem grandes dificuldades.

É igual dirigir um carro conhecendo como funciona cada peça.

Dicas para tirar certificações de programação

Ter o certificado por si só não faz tanta diferença – é só um papel. Mas o conhecimento adquirido na jornada de estudos é transformador.

Geralmente um livro de certificação não esgota todo o assunto.

O profissional precisa praticar e consultar detalhes da matéria em outras fontes para interiorizar o conhecimento na profundidade exigida pela prova.

Então, o melhor jeito de se tornar um programador muito bom numa linguagem é estudar através de materiais qualificados e fazer questão de praticar muito o aprendizado.

Espero que esse texto tenha lhe ajudado! Comente o que achou! 😉

O que achou?

1 votos. Média: 5,00.