PJ é obrigado a tirar pro labore?

Profissionais PJ não são obrigados a retirar pro labore. 

Mas nós do Contrato PJ o recomendamos fortemente por um motivo muito simples. Entenda o porquê. 

É totalmente legal o profissional PJ declarar todo o faturamento (ou salário) como lucro de sua empresa, sem pro labores. Porém, neste caso, ele pagará 15,5% de impostos no Simples Nacional. 

Caso declare todo mês um pro labore de 28% do faturamento total, como recomendamos, o imposto da PJ cai para 6%.  

É uma diferença grande, e mais do que compensa os encargos acarretados pelo pro labore. 

A regra que determina essa variação tem nome: fator “r”, e aplica-se à maioria das profissões pejotizadas, as quais o governo chama de atividades intelectuais

Profissionais PJ não sujeitos ao fator “r” 

Corretores (de imóveis, seguros e outros) e técnicos de manutenção em geral não estão sujeitos ao fator “r”. 

Portanto, estes pagam sempre 6% na PJ independente de tirar pro labore ou não. 

Nesses casos, é recomendado declarar um salário mínimo como pro labore apenas para ter acesso aos seguros sociais em caso de acidente, doença, invalidez e afins. 

Aposentadoria com pro labore

Em ambos os casos, essa contribuição NÃO dá direito a aposentadoria por tempo de serviço. Apenas por invalidez.

Pois o INSS que pagamos é o “INSS patronal” (dos empresários), bem mais barato do que aquele pago pelos empregados CLT. 

Em face disso recomendamos o uso de previdências privadas, poupança para emergências e boa organização das finanças pessoais. 

O que achou?

Assuntos relacionados